Libélula e seus disparos

início . conheça-me .
rabiscos . . . ask
"Eu não sou o que escrevo ou sim, mas de muitos jeitos. Alguns estranhos. " Saber sobre mim pode ser uma aventura. Ou um tédio. Sejam bem vindos!
. »

Trem Fantasma

Acho um lugar pra sentar às 07:30 – já no caminho

aproveito e sintonizo uma estação qualquer, nem tão barulhenta, nem tão calma.
No aparelho, apenas o ruído suficiente - o mantra necessário,
Ao meu despertar sonâmbulo que ainda levará metade da manhã.
Abro um livro, leio um poema ou dois, apenas pra evitar a repetibilidade desse dia.
O poema é novo, e bom, apenas o tema… esse sim, é recorrente.
Ali isolado num universo paralelo de ansiedades,
Longe do resto dos passageiros, esses outros ali condenados,
Uniformizados e sem esperanças…
Me sinto aliviado.
Tenho certeza que não sou como o restante daqui,
esses que vagam aos seus trabalhos, infelizes, moribundos,
sentenciados, obrigados…
Jamais!
Embarco no trem fantasma em todo nascer do sol com um objetivo,
- muito mais salutar que o deles!
Um dia, daqui a alguns vou comprar minha liberdade!
Apenas mais alguns anos nesse ritmo e acredito que eles me darão.
Afinal eles me adoram.
Ah sim! Os infelizes aqui não tem a mínima chance contra mim. Verão o meu sucesso de longe. Ou melhor não verão.
Quantas manhãs tenho ainda que olhar para esses rostos e partilhar dessa desesperança?
Até que eu possa enfim descansar, em paz, sem segundas-feiras nunca mais?
É hoje é apenas terça-feira.
Tenho dó daqueles que ficam.

Tenho em mim todos os sonhos do mundo.
Fernando Pessoa (via recitarpoesias)
A dor é sempre passageira, basta lembrar que o piloto é você.
Frederico Elboni
Porque metade de mim é o que eu grito, a outra metade é silêncio.
Oswaldo Montenegro (via romantizar)
Escrever dói.
Dói porque escrever é chorar. É vomitar as palavras que não podemos gritar, é examinar cada um de nossos sentimentos com uma lente de aumento. Escrever é olhar pra dentro de nós e nem sempre gosto do que vejo aqui.
Escrever dói.
Mas salva.

metalinguagem

portuária

(via coracao-voraz)

Eu deixo a onda me acertar e o vento vai levando tudo embora…
Aonde está você agora, além de aqui dentro de mim?
Vento No Litoral - Legião Urbana
Jesus, lembra quando segurou na mão Pedro para ele andar com segurança sobre as águas? Segura minha mão agora?
Deus, vem cá me abraçar? Tô precisando.
As pessoas não somem, perdem o interrese.
Frederico Elboni
Eu sou meio todo mundo. O engraçado, o chato, o romântico, o amigo e o solitário. No fim do dia não sei qual deles eu sou e o sentimento de ser ninguém me invade. Eu choro.
Caio Augusto Leite (via desaguas)
Falando sério

Outro amor? Não caio mais.

Ré Menor

fazendo versinho

querendo carinho