Libélula e seus disparos

início . conheça-me .
Eu Comigo . . . ask
"Eu não sou o que escrevo ou sim, mas de muitos jeitos. Alguns estranhos. " Saber sobre mim pode ser uma aventura. Ou um tédio. Sejam bem vindos!
. »

Façam completo silêncio, paralisem os negócios, garanto que uma flor nasceu.
Carlos Drummond de Andrade    (via situ-ar)
Quem sabe você tropeça em mim.
Tiê.   (via felicidadeadois)
Aonde está você?
Por que é que você foi?
Não quero te esquecer
Mas já fiquei tão longe…
Tão longe…
Longe - Marcelo Jeneci
Estou dentro de uma sala fechada, cheia de pessoas. Estou gritando, mas ninguém me ouve.
Kéllen Rodrigues
É tudo a mesma coisa

“Vou parar de fumar”, “hoje eu paro de amar”. Promessas. No fim é tudo a mesma coisa. Não consigo cumprir nem uma, nem outra.

A primeira promessa é difícil de se cumprir. Sou fraca. Preciso de um vício para preencher o ócio. Porém, o vício de amar insiste em impregnar em mim. Às vezes consigo evitá-lo. Eu disse às vezes. Pois quando quebro a segunda promessa, caio em um buraco com fundo. A queda parece macia, mas na verdade a tal maciez é a dormência de ter caído com tanta velocidade. É doloroso. Passo dias me recuperando da dor.

No fim, volto a fumar. É tudo a mesma coisa.

Afinal, morrer de enfisema pulmonar e morrer de amor dá na mesma.

Kéllen Rodrigues

Quando não escrevo, morro. Quando escrevo, também.
Gabriel García Márquez. (via oxigenio-dapalavra)
Amor é para os fracos. Os fortes são aquelas pessoas rígidas feito pedra, que a gente vê morrendo completamente sozinhas.
Gabito Nunes.    (via julgando)
Trem Fantasma

Acho um lugar pra sentar às 07:30 – já no caminho

aproveito e sintonizo uma estação qualquer, nem tão barulhenta, nem tão calma.
No aparelho, apenas o ruído suficiente - o mantra necessário,
Ao meu despertar sonâmbulo que ainda levará metade da manhã.
Abro um livro, leio um poema ou dois, apenas pra evitar a repetibilidade desse dia.
O poema é novo, e bom, apenas o tema… esse sim, é recorrente.
Ali isolado num universo paralelo de ansiedades,
Longe do resto dos passageiros, esses outros ali condenados,
Uniformizados e sem esperanças…
Me sinto aliviado.
Tenho certeza que não sou como o restante daqui,
esses que vagam aos seus trabalhos, infelizes, moribundos,
sentenciados, obrigados…
Jamais!
Embarco no trem fantasma em todo nascer do sol com um objetivo,
- muito mais salutar que o deles!
Um dia, daqui a alguns vou comprar minha liberdade!
Apenas mais alguns anos nesse ritmo e acredito que eles me darão.
Afinal eles me adoram.
Ah sim! Os infelizes aqui não tem a mínima chance contra mim. Verão o meu sucesso de longe. Ou melhor não verão.
Quantas manhãs tenho ainda que olhar para esses rostos e partilhar dessa desesperança?
Até que eu possa enfim descansar, em paz, sem segundas-feiras nunca mais?
É hoje é apenas terça-feira.
Tenho dó daqueles que ficam.

Tenho em mim todos os sonhos do mundo.
Fernando Pessoa (via recitarpoesias)
A dor é sempre passageira, basta lembrar que o piloto é você.
Frederico Elboni
Porque metade de mim é o que eu grito, a outra metade é silêncio.
Oswaldo Montenegro (via romantizar)
Escrever dói.
Dói porque escrever é chorar. É vomitar as palavras que não podemos gritar, é examinar cada um de nossos sentimentos com uma lente de aumento. Escrever é olhar pra dentro de nós e nem sempre gosto do que vejo aqui.
Escrever dói.
Mas salva.

metalinguagem

portuária

(via coracao-voraz)

Eu deixo a onda me acertar e o vento vai levando tudo embora…